• 30/04/2016// Por: Camila Pavani

    Sou uma princesa

    13001272_1007107862677012_5725059038153390053_n


    Gostou? Compartilhe

  • 28/04/2016// Por: Camila Pavani

    14 perguntas que homens gostariam de fazer à suas namoradas, mas têm medo

    26164443448365

     

     

    Uma pesquisa feita pela Thought Catalog tem dado o que falar. Basicamente, muitos homens abriram seus corações e confessaram o que mais gostariam de saber a respeito de suas namoradas, mas tinham vergonha ou medo de perguntar. Resolvemos mostrar que perguntas são essas e aproveitar a deixa para dar um conselho que pode mudar vidas: aprendam a falar, rapazes. Tendo respeito, tá liberado falar sobre tudo.
    1 – Com quantas pessoas ela já fez sexo?
    “Eu realmente gostaria de saber com quantas pessoas ela já dormiu, mas nós acabamos de começar a namorar, isso pode ser pessoal demais. Além do mais, e se ela já dormiu com mais pessoas do que eu gostaria de saber? Provavelmente é melhor apenas nunca fazer essa pergunta”, Luke, 24.
    O que fazer: Pode perguntar, sim. Estamos no século 21, lembra? Se ela não quiser revelar, paciência. É direito dela. Passado é passado.
    2 – Será que ela toparia um ménage?
    “Se ela estaria disposta a fazer sexo a três. Eu estaria totalmente na minha, mas ela provavelmente pensaria que eu quero ficar com ela e outras se eu perguntasse”, Trey, 25.
    O que fazer: Trey, essa fantasia é BASTANTE comum, principalmente entre os homens. Pode perguntar, só não pode forçar a barra.
    3 – Ela finge orgasmos?
    “Se ela está fingindo ou se eu realmente faço com que ela goze com tanta frequência. Não que eu esteja subestimando minhas habilidades sexuais, mas ouvi dizer que mulheres tendem a fingir”, Will, 24.
    O que fazer: Pergunta, Will! Se ela estiver fingindo, você já aproveita a deixa para dizer que tudo bem ela direcionar suas ações durante o sexo. Quando os dois sabem agradar um ao outro, a coisa fica muito melhor.
    4 – Com que frequência ela se masturba?
    “Porque, dependendo da resposta, eu posso ficar ofendido”, Gio, 26.
    O que fazer: Masturbação não é algo exclusivo de pessoas solteiras ou que não têm parceiros sexuais frequentemente. Se sua namorada se masturba, significa apenas que ela é uma pessoa absolutamente normal.
    5 – Ela usa roupas íntimas mais de uma vez antes de lavar?
    “Eu não vou julgar, só quero saber”, Sam, 25.
    O que fazer: Essa pergunta é estranha e bizarra. Temos a esperança de que a maioria das pessoas – não apenas das mulheres – não “reaproveite” calcinhas e cuecas antes de dar aquela lavada básica.
    6 – Será que ela já superou mesmo o ex?
    “Isso é algo que me preocupa constantemente; sim, sou inseguro”, Kyle, 24.
    O que fazer: Sim, você é inseguro. Pela lógica, se ela está com você é porque não quer estar com o ex. Existem casos e casos, é claro, e não queremos negar que algumas pessoas ficam com outras com a intenção de superar o fim de um relacionamento ou de causar ciúme a alguém – isso é péssimo, então não há nada de errado falar sobre o assunto e descobrir qual é a verdade.
    7 – O que ela acha do meu pênis?
    “Como é o meu pênis comparado aos de outros caras com quem ela já dormiu”, Patrick, 25.
    O que fazer: Ela possivelmente vai dizer que é normal.
    8 – Será que ela já engravidou antes?
    “Sustos com gravidez me fizeram pensar nisso, mas eu nunca perguntaria isso a ela. É um assunto muito sensível, mas ainda estou curioso”, Bobby, 24.
    O que fazer: Apenas pergunte. Não há nada errado nisso.
    9 – Seus seios são reais?
    “Ainda é cedo para ir por esse caminho. Quer dizer, tecnicamente é um elogio, porque eles são perfeitos”, Victor, 23.
    O que fazer: Todo seio é real. Alguns têm silicone, outros não. Perguntar se o peito “é de verdade” é que é mais estranho.
    10 – Será que ela já fez sexo com outras mulheres?
    “Eu sei que ela teve uma fase universitária turbulenta, mas eu não quero que ela ache que eu penso que ela é mais promíscua do que ela realmente é”, Ricky, 24.
    Nossa opinião: Quanto medo de conversar, hein meninos?
    11 – E filhos?
    “Quantos filhos ela gostaria de ter, se é que quer ter. Se eu perguntar isso a ela, ela vai achar que quero colocar um pãozinho em seu forno, e eu não quero, mas para referências futuras eu gostaria de saber”, Rob, 26.
    O que fazer: Se você disser exatamente isso a ela, Rob, ela não vai pensar que você está querendo ser pai exatamente agora. Quando explicamos bem o que queremos saber, fica fácil entender a pergunta.
    12 – Qual é a coisa mais safada que ela já fez?
    “Eu adoraria saber qual foi a coisa mais ousada que ela já fez, mas sou envergonhado demais para realmente perguntar isso a ela”, Jason, 22.
    O que fazer: Apenas pergunte, Jason.
    13 – Se ela já olhou para a própria vagina
    “Eu vi um negócio na TV, com mulheres olhando a si mesmas com um espelho, e era realmente estranho”, Kevin, 23.
    O que fazer: Estranho seria se ela não fizesse isso, Kevin! Ou vai dizer que você nunca olhou seu “amigão”? É saudável, inclusive, que vocês façam isso, meninos e meninas!
    14 – O que ela acha de mim na cama?
    “Eu acho que não tenho medo de perguntar, eu apenas gostaria de ler a mente dela para saber se ela está me dizendo a verdade”, Anthony, 25.
    O que fazer: Quando um cara pergunta se está agradando durante o sexo, a mulher se sente ainda mais à vontade para falar sobre e, de preferência, com toda a sinceridade do mundo. Esse tipo de conversa deveria ser comum em todos os casais, minha gente! Como é que na hora de fazer vocês não têm vergonha, mas na hora de falar ficam com medo? Não faz sentido.

     

    Lá do MegaCurioso


    Gostou? Compartilhe

  • 26/04/2016// Por: Camila Pavani

    Tudo que você precisa saber sobre o clitóris em apenas um documentário

    Esse documentário de pouco mais de 40 minutos reúne todos os tabus e vai esclarecer tudo que você sempre quis saber sobre esse órgão tão adorável.

     


    Gostou? Compartilhe

  • 25/04/2016// Por: Camila Pavani

    Pessoas casadas se consideram mais felizes, diz estudo

    casados-felizes

     

    De acordo com pesquisa realizada pelo instituto britânico “Office for National Statistics”, ou Escritório Nacional de Estatísticas em tradução livre, mais pessoas casadas se consideram completamente felizes, quando comparadas às que são solteiras ou apenas namoram.

    Os casados são mais felizes que solteiros e divorciados
    Quase 37% das pessoas casadas deram nota 9 ou 10, em uma escala de 0 a 10, para o nível de felicidade com a vida, enquanto apenas pouco mais de 27% dos solteiros deram as notas máximas.

    A quantidade de separados ou divorciados que se consideram plenamente felizes foi parecida com a dos solteiros: também 27% dos entrevistados.

    A pesquisa ainda investigou a variação do nível de felicidade com a idade e percebeu que a faixa etária em que mais pessoas classificam sua felicidade como “muito alta” é dos 65 aos 69 anos. Já a faixa de idade em que as pessoas são mais tristes é a dos 45 aos 54 anos.

    O estudo entrevistou mais de 300 mil pessoas de 2012 a 2015 no Reino Unido.

     

    Vi no IG 


    Gostou? Compartilhe

  • 23/04/2016// Por: Camila Pavani

    A importância das escolhas certas

    GEISY-NÃO-É-FAMOSA1


    Gostou? Compartilhe

  • 21/04/2016// Por: Camila Pavani

    Belo, recatado e do lar: Suécia incentiva homens a cuidarem da casa após nascimento do filho

    licença-paternidade

     

    A licença-paternidade é um benefício que ainda enfrenta barreiras em vários países do mundo, mas este fato é muito diferente na Suécia, local de origem da ideia de direitos paternos. Desde 1970 visando o contato mais próximo dos pais com seus filhos recém nascidos, o país nórdico quer agora prolongar este período e usará para isto, curiosamente, uma imposição aos homens.

    As leis de licenças suecas que previam benefícios aos pais, num primeiro momento, destinavam três meses para os homens e outros três meses para as mulheres. Os homens, por sua vez, tinham a opção de transferir alguns dias para as mulheres, caso assim fosse desejado, prática que acabou tornando-se muito comum.

    A partir de 1995, o governo sueco estipulou que ao menos 30 dias deveriam ser utilizados pelos homens, período que passou a ser de 60 dias no ano de 2002. As duas alterações nas ‘cotas’ para a licença-paternidade surtiram efeito positivo e em 2014, o período utilizado pelos pais para cuidar de seus filhos atingiu a marca de 25% do total.

    Visando uma maior aproximação dos pais com suas crianças, entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2016 uma nova alteração na lei, que obriga os pais a tirarem três meses de licença no mínimo. Atualmente, um casal sueco recebe 480 dias de licença em conjunto, aproximadamente 16 meses, para destinar aos cuidados de seus filhos.

    E para quem pode estar pensando que o afastamento do trabalho passe a ser um problema, está muito enganado, já que neste ponto a Suécia mostra o motivo de ser um dos países mais desenvolvidos do mundo. Nos primeiros 390 dias de licença conjunta, o governo arca com 80% do salário dos pais trabalhadores, diminuindo um pouco no período final.

    Para o governo sueco, a distribuição igualitária do tempo passado pelas crianças com pais e mães tem um efeito a longo prazo para os jovens. Para eles, as crianças tornam-se mais versáteis e independentes.

    Para os empregadores, a ideia também agrada, já que pais que cuidam de seus filhos tendem a desenvolver capacidades não vistas anteriormente e assim, tornam-se profissionais mais competentes.

     

    Via Blasting News


    Gostou? Compartilhe

  • 20/04/2016// Por: Camila Pavani

    Tirando uma sonequinha

    rapidinhaleitor211

     

    Sempre tenho boas risadas com o blog. Hoje resolvi contar o que houve comigo.
    Estava com um boy novo, naquela fase que apenas no olhar já sai faíscas. Resolvemos sair para aproveitar um pouco a noite e depois iriamos dormir juntos no meu apartamento. Saímos, bebemos e voltamos para casa.
    Assim que entramos em casa rolou aqueles amassos, beijos daqui, beijos dali e partimos para os finalmentes. Estava por cima do boy, naquele clima. Quando percebo que ele dormiu, no meio do sexo ele apagou.
    E com essa grande decepção terminou a minha noite.
    No dia seguinte ele não lembrava de absolutamente nada e hoje continuamos juntos e rimos muito desse dia, mas nunca mais bebemos vinho só para garantir.

     

    __________________________________________________

    Passou por algum mico durante o sexo e não sabe pra quem contar? Estamos aqui pra isso!

    blog@acidezfeminina.com.br


    Gostou? Compartilhe

  • 19/04/2016// Por: Camila Pavani

    Como seria se as cantadas revelassem a verdade?


    Gostou? Compartilhe

  • 18/04/2016// Por: Camila Pavani

    Perder um amor enfraquece o coração, segundo pesquisa

    perder-um-amor-titanic

     

    Perder um amor pode realmente “partir” seu coração. De acordo com uma pesquisa dinamarquesa publicada no periódico “Open Heart”, as pessoas que vivem a perda do amado tem 41% mais chances de desenvolver fibrilação atrial – condição caracterizada pelo ritmo irregular das batidas do coração.

    Os pesquisadores coletaram dados de mais de 900 mil pessoas – entre os com fibrilação atrial e sem -, por nove anos, e perceberam que a morte do parceiro pode desregular o ritmo do coração por até um ano depois do ocorrido.

    De acordo com o estudo, o risco é maior durante os primeiros quatorze dias do luto, e diminui gradativamente depois desse período. Após um ano da perda do amado, o risco é igual ao de alguém que nunca enfrentou a perda de um amor.

     

    Vi no Delas, lá do IG


    Gostou? Compartilhe

  • 16/04/2016// Por: Camila Pavani

    Aparelho promete fim das cólicas sem remédio ou bolsa de água quente

    livia-colicas

     

    Quem é mulher, sabe: tem dias em que as cólicas menstruais batem tão forte na gente que a simples missão de levantar da cama e escovar os dentes parece impossível. A saída é tentar a sorte com algum remédio ou bolsa de água quente e esperar, pacientemente, até que o monstrinho que fica dentro da barriga pare de se contorcer e causar tanto incômodo. Essa brincadeira pode levar horas, tá? E é justamente nesse contexto que aparece Livia, um dispositivo que promete “desligar” – literalmente – as cólicas da menstruação. Será que é um milagre? Estamos sonhando? Calma, que a gente explica melhor.

    Livia é um dispositivo eletrônico livre de substâncias químicas, ativado apenas pelo toque. O lance é que ele estimula os nervos da região abdominal, bloqueando a passagem dos estímulos de dor que são recebidos pelo cérebro. Com esse bloqueio, a cólica desaparece que nem mágica, imediatamente – ao contrário dos medicamentos tradicionais que demoram um pouco para surtir efeito, transformando o período menstrual em uma torturinha nada tranquila.

    De acordo com as instruções do fabricante, basta colocar os eletrodos de Livia no ponto da dor e ativar o dispositivo, que começa a transmitir pulsos elétricos para os nervos da região, mantendo-os ocupados demais para repassar a informação da dor. Médicos e pesquisadores chamam essa tática de “Teoria do Portão da Dor”, uma alternativa mais eficaz para combater efetivamente a cólica, e não apenas atenuá-la.
    Por enquanto, o preço de Livia ainda é salgado: US$ 149 dólares, na lata. O dispositivo ainda segue em testes, com lançamento oficial marcado para outubro deste ano. Alguns usuários que testaram o produto em sua fase beta afirmaram que as cólicas realmente foram bloqueadas, além de terem elogiado o design discreto e funcional do aparelhinho.

    Agora é só torcer para lançar por aqui também, né?

     

    Mais um do Vírgula


    Gostou? Compartilhe

Taty Ferreira

Blogueira

/acidezfeminina
/acidezfeminina
/AcidGirlTestosterona
/acidezfeminina
/AcidezFeminina
Olar bandiputo!!!

Natural de Araxá/MG, tem 28 anos, é blogueira, youtuber, empresária, escritora, modelo, atriz e mentirosa. Produz conteúdo para a internet desde 2009 e ama o fato de poder trabalhar usando pijama. Tem uma missão de que é lembrar as mulheres de depilarem seus bigodes. Você, mulher, já depilou seu bigode essa semana?