• 12/04/2013// Por: Taty Ferreira

    Ele se diz antiquado e não arruma namorada por isso

     

    Olá acid, eu sofro de um problema no mínimo estranho, talvez sejam raros os casos iguais ao meu, sou um homem conservador e quando digo isto é porque eu valorizo costumes dos tempos de nossos avós e até mesmo costumes de séculos que já se passaram, não consigo me identificar  com a nossa época e não consigo tolerar a moda feminina de um modo quase que geral, que na minha opinião só molda elas como um objeto para o homem analisar se compensa ou não levar pra casa e usar. Sou muito a favor de sentar e tomar um chá ao som da orquestra de Londres do que ir na balada e graças a isso sou visto como alguém estranho na sociedade e as garotas apenas me enxergam como: O carinha inteligente e legal.

    Nunca tive um relacionamento com ninguém e duvido muito que eu tenha devido aos meus princípios afastarem as mulheres, gostaria de saber sua opinião sobre isso.

    Me identifique como Atípico”

    _______________________

     

     

    Ok Atípico, eu tenho uma notícia para te dar que não sei se vai te agradar, mas você não é um cara antiquado e conservador, o adjetivo que qualifica isso que você acabou de descrever é HIPSTER, você não passa de um hipster, como muitos dessa modinha atual.

    Digo isso por vários motivos, o primeiro é, se você fosse mesmo um cara conservador que prefere viver aos modos de nossos antepassados você não estaria escrevendo para o blog de uma mulher que fala abertamente sobre relacionamento e comportamento, inclusive sobre sexo, você repudiaria meu trabalho como diz repudiar “essa moda feminina que na sua visão só faz as mulheres se afirmarem como objetos”.

    Outra razão pela qual digo que você é, apenas, Hipster é esse pensamento de que nos séculos passados os homens sentavam para tomar um chá com suas esposas enquanto ouviam a orquestra de Londres nada mais é que fantasia hollywoodiana, nos séculos passados os homens tinham trabalhos braçais por horas a fio e tinham casamentos arranjados, dos quais, em grande parte, nem gostavam da sua mulher, elas serviam apenas para a manutenção da casa e garantia da continuação do nome de família procriando um filho atrás do outro enquanto seus maridos descansavam com meretrizes, já que o rádio só foi inventado em 1800 e pouco e era artigo de luxo e a globalização só deu início tem menos de um século. Ou seja, a não ser que você fosse muito rico, digo podre de rico, padrão Eike Batista de riqueza, você não teria condições de ouvir orquestra Londrina no seu rádio e se tivesse, dificilmente seria com sua amada já que naquela época casamentos eram mais arranjamentos políticos que amorosos, principalmente se você fosse rico.

    Enfim, minha opinião sobre isso é que você tá querendo pagar de culto e intelectual, mas na verdade você tá inventando desculpas para não aproveitar a liberdade e libertinagem que vivemos nesta década (falar deste séculos é generalizar erroneamente).

    Então ou você engole esse hipster que existe em você e vá “passar o rodo” na balada ou assuma o Hipster que existe em você e procure uma hispter fêmea (ou macho, dai você escolhe, até porque não estamos nos séculos passados).


    Gostou? Compartilhe


Taty Ferreira

Blogueira

/acidezfeminina
/acidezfeminina
/AcidGirlTestosterona
/acidezfeminina
/AcidezFeminina
/AcidezFeminina
Olar bandiputo!!!

Natural de Araxá/MG, tem 30 anos, é blogueira, youtuber, empresária, escritora, modelo, atriz e mentirosa. Produz conteúdo para a internet desde 2009 e ama o fato de poder trabalhar usando pijama. Tem uma missão de que é lembrar as mulheres de depilarem seus bigodes. Você, mulher, já depilou seu bigode essa semana?