• 10/10/2015// Por: Camila Pavani

    A ciência achou uma explicação para a famosa “stalkeada” no ex

    stalk-facebook-ex

     

    De acordo com uma nova pesquisa, existe uma explicação para essa vontade de espiar seus ex-parceiros – a famosa “stalkeada”.

    As pesquisas acadêmicas podem ser fascinantes… e totalmente confusas. Então decidimos retirar todo o jargão científico e explicar tudo direitinho para você.

     

    HISTÓRICO

    Quando o cantor americano dos anos 60, Neil Sadaka, criou o hit de 1962 Breaking Up Is Hard To Do (“Rompimentos Não São Nada Fáceis”, em tradução livre) ele seguramente não imaginava que o avanço tecnológico dos 50 anos seguintes faria com que os rompimentos amorosos fossem ainda mais difíceis de superar. Terminar um relacionamento hoje em dia significa bem mais do que a separação, pois pode significar ver essa pessoa totalmente “em outra” nas redes sociais. Enquanto você está em casa fazendo faxina, seu ex parece estar se deliciando em um restaurante, que obviamente merece uma foto no Instagram, ou estar participando de uma festa que no Facebook parece ser divertidíssima. Pior ainda, seu ex poderia ter encontrado uma nova pessoa e publicado sobre seu caso para toda a Internet (ou seja: você!) ver. Agora não apenas você está se sentindo sozinho, mas também acha que foi quem mais perdeu com o rompimento.

    Os estudos têm mostrado que manter contato com o ex pode prolongar a angústia do término. Então por que ficamos de olho na vida do nosso ex se isso nos faz mal? Um novo estudo da Universidade do Havaí em Manoa e da Universidade Estadual de Ohio observou quais eram os tipos de pessoas propensas a ficar espiando no Facebook o ex-amado logo após o fim de um relacionamento.

     

    O ENCONTRO

    Os pesquisadores reuniram 150 homens e 281 mulheres entre 18 e 42 anos para a pesquisa. Todos os entrevistados tinham passado por um rompimento no último ano e tinham acesso ao perfil do ex no Facebook. A pesquisa mediu os estilos de apego dos entrevistados para saber se eles tinham um apego estilo ansioso (“associado a uma sensação de pouco autovalor” e “relacionado a sentimentos de insegurança na relação”) ou apego evasivo (“associado a sentimentos de menos confiança nos outros, o que resulta em uma tendência a evitar relacionamentos próximos”).

    Para fazer isso, os pesquisadores usaram uma escala padronizada em que se perguntava aos entrevistados o quanto eles concordavam ou discordavam de frases do tipo “Eu preciso de muitas garantias de que sou amado pelo meu parceiro” “Eu tento evitar ficar ligado demais ao meu parceiro” e “Eu geralmente discuto meus problemas e preocupações com meu parceiro”.

    A pesquisa também observou quem iniciou o rompimento, o quão comprometidos os entrevistados estavam na relação e quantas alternativas ao relacionamento (ex. outros parceiros potenciais) eles achavam ter tido quando estavam nessa relação. Além disso, a pesquisa mensurava o quanto os entrevistados ficavam angustiados depois do rompimento e com que frequência eles espiavam a vida dos ex-parceiros no Facebook após o término.

     

    OS RESULTADOS

    Depois de analisarem as respostas, os pesquisadores descobriram que aqueles com um estilo de apego ansioso tendiam a ter investido mais e estarem mais comprometidos na relação anterior, o que por sua vez era relacionado a uma maior angústia emocional e mais “espiadas” no Facebook após a separação. E para os apegados ansiosos que não tomaram a iniciativa do rompimento, a relação entre angústia e “ficar espiando” no Facebook era ainda maior. Ou seja: ai ai.

     

    CONCLUSÃO
    Esse resultado sugere que os parceiros mais magoados com o rompimento são os que provavelmente prolongarão mais o seu sofrimento ao ficar atrás de informação sobre o ex no Facebook. Como dizem os pesquisadores, as redes sociais são como “álbuns virtuais para os relacionamentos” que os namorados abandonados podem recorrer quando eles quiserem remoer, de forma masoquista, o que eles tinham e ao mesmo tempo poderem espiar seu ex.

    Os pesquisadores sugerem que se você estiver desolado com um rompimento, talvez queira considerar desligar-se do seu ex no Facebook e nas outras redes sociais. Por mais difícil que pareça, isso não é uma má ideia. Afinal, de que adianta gastar tanta energia mental para descobrir se a loira na foto do ex é a nova você? Existe um mundo real inteiro que se abre para você quando está outra vez independente e sem compromisso com ninguém. Pare de ficar fuçando, passe pra outra e aproveite!

     

    Reportagem do Brasil Post


    Gostou? Compartilhe


Taty Ferreira

Blogueira

/acidezfeminina
/acidezfeminina
/AcidGirlTestosterona
/acidezfeminina
/AcidezFeminina
/AcidezFeminina
Olar bandiputo!!!

Natural de Araxá/MG, tem 30 anos, é blogueira, youtuber, empresária, escritora, modelo, atriz e mentirosa. Produz conteúdo para a internet desde 2009 e ama o fato de poder trabalhar usando pijama. Tem uma missão de que é lembrar as mulheres de depilarem seus bigodes. Você, mulher, já depilou seu bigode essa semana?