• 19/09/2016// Por: Camila Pavani

    Vídeo engraçadinho acaba de vez com dúvidas sobre a menstruação

    menarche1

     

    Um vídeo compartilhado nas redes sociais tem tirado o riso de muitas mulheres. Nele, de forma divertida, todo o processo de ovulação e descamação do útero e menstruação é ilustrado com animações e sons. Desta maneira, fica até divertido compreender como nosso corpo funciona.

    Durante um período no mês, o corpo feminino libera uma série de hormônios que são capazes de preparar o óvulo hospedado no ovário para sua liberação. Após ser expelido, esse óvulo pode ser ou não fecundado. Em casos negativos, ele é descartado junto com a descamação do útero, condição que resulta na menstruação.

    Na animação, todo esse processo é reproduzido de forma divertida. Um bichinho com expressões simula o óvulo, enquanto endométrio, sangue que reveste a cavidade uterina, é representado por gotinhas de sangue que até cantam. Vale a pena conferir e rir um pouquinho.

     

     

    Lá do Vix


    Gostou? Compartilhe

  • 13/09/2016// Por: Camila Pavani

    SEXO SEM DÚVIDA #4 – Minha namorada sente dor durante o sexo, o que fazer?

    sexo-sem-duvida

     

    Sentir dor em qualquer situação da vida é indicativo de que algo não está bem, inclusive se a dor aparecer no sexo. Sexo com dor não é normal. Sexo deve ser sempre motivo de prazer.

    Dores existem por causas físicas e psicológicas. As causas físicas estão relacionadas a fungos, bactérias, vírus, lesões internas e outras alterações. As dores de causa psicológica que são a grande maioria das dores sentidas no sexo, são sentidas pelo fato da mulher apresentar contrações da entrada da vagina que impedem a penetração, dificuldade de relaxamento desta musculatura, dificuldades de lubrificação e outras, geradas por questões psicológicas e não físicas.   

    A maioria das dores sentidas durante o sexo não são resolvidas com comprimidos, remédios, muito menos se resolve com cirurgias. Dores são resolvidas com Terapeutas especialistas para isto. Não faça nenhuma cirurgia antes de uma avaliação com um Psicólogo Especialista em Sexualidade.

    Para avaliar corretamente e passar a solução que existe, teríamos que falar diretamente com a sua namorada mas a probabilidade de ela apresentar uma Disfunção Sexual pode ser é grande e se for uma Disfunção Sexual, isto pode ser tratado e resolvido de uma forma muito simples e definitiva.

    Algumas mulheres ficam com as dores durante a vida porque não sabem onde buscar ajuda, outras resolvem eliminar a dor buscando profissionais especialistas.

    Incentivo que sempre que sentirem dores busquem ajuda. 

     

    ______________________________________________

    Querem saber mais sobre sexualidade? Mandem suas dúvidas no email blog@acidezfeminina.com.br, prometemos manter seu nome em segredo!

     

    sexosemduvida.com é o maior portal brasileiro de Sexualidade Humana, onde você encontra conteúdo sobre sexualidade e especialistas que realizam consultas online.


    Gostou? Compartilhe

  • 12/09/2016// Por: Camila Pavani

    O pai flagrou os dois encaixados

    rapidinhaleitor

     

    Olá Acid. Vi sua postagem no facebook pedindo histórias bizarras na hora de uma rapidinha né?! Então resolvi contar algumas que aconteceram comigo. Bora lá.

    Minha família sempre foi muito religiosa, tanto que conheci meu atual marido na igreja. Eu tinha 15 anos e meu namorado 20. Nós começamos a namorar e logo no inicio tivemos nossa primeira relação sexual, e ninguém sabia, nem mesmo minha melhor amiga. E tínhamos que dar nosso jeito para fazermos quando dava aquela vontade. Mas, o que não nos faltava era coragem. Meus pais nunca deixaram ele entrar no meu quarto, então fazíamos o que tínhamos que fazer na sala mesmo.

    Em uma bela sexta a noite (madrugada), estávamos deitadinhos no sofá, já na atividade, quando de repente, meu pai sai do quarto e fica de cara com a gente, estávamos tampados, um de frente para o outro, com o negocio encaixado, ambos sem as roupas de baixo, eu fingi que estava dormindo, enquanto meu pai estava na cozinha bebendo água (a cozinha e sala são conjugadas, ou seja, ele estava do meu ladinho). Quase desmaiei, porque foi a primeira vez que meu pai me viu deitado com ele, as chances de ele enlouquecer e mandar eu me ajeitar eram grandes, e eu quase pirei com essa ideia. Meu pai terminou de beber água e foi para o banheiro e em questão de segundos eu acordei do meu sono super profundo e quando ele saiu do banheiro já estávamos vestidos, um sentado do lado do outro assistindo tv. Se meu pai percebeu? Hoje eu tenho quase toda a certeza do mundo que sim. Mas graças a Deus ele nunca comentou nada.

     

    ________________________________________

    blog@acidezfeminina.com.br, manda sua história pra gente!


    Gostou? Compartilhe

  • 11/09/2016// Por: Camila Pavani

    Como é fazer aniversário depois dos 20


    Gostou? Compartilhe

  • 10/09/2016// Por: Camila Pavani

    Agora existe um robô que diz ‘eu te amo’ ao seu par romântico por você

    roboama

     

    Dois desenvolvedores da Microsoft usaram o TechCrunch Disrupt Hackathon de São Francisco, nesta semana, para mostrar um bot que automatiza as relações interpessoais por meio do Telegram.

    Chamado LoveBot, o robô pode ser programado para enviar mensagens periodicamente ao seu par romântico, ficantes ou até amigos. Dependendo da configuração escolhida, a mensagem pode conter até citações de Shakespeare.

    O LoveBot é criação de Guru Ranganathan e Karthikeyan Santana. Segundo o TechCrunch, eles fizeram o robô por diversão, mas acreditam que há um potencial a ser explorado.

    Tendo em vista que o bot pode acessar sua lista de contatos no Facebook, ele tem o poder de reativar uma antiga amizade por conta própria, por exemplo. “Mandar a primeira mensagem em uma conversa é sempre o mais difícil”, opinou Ranganathan.

     

    Vi no Olhar Digital


    Gostou? Compartilhe

  • 09/09/2016// Por: Camila Pavani

    O boy teve que rebocar a bêbada

    rapidinhaleitor

    “Oie lendo algumas histórias resolvi compartilhar a minha.
    Certo dia eu e uma amiga fomos a um barzinho “tomar uma”. Cerveja vai, cerveja vem e partimos para a tequila e até mesmo a danada da ypióca. Horas depois completamente alterada ligo para o meu boy me buscar no barzinho e ele muito gentil saiu do trabalho mais cedo e foi então “rebocar a bêbada”. Sempre existiu um fogo gigantesco entre nós mas nesse dia o bicho pegou. Pleno trânsito na Anhanguera tiro toda a minha roupa e vou pra cima do boy que tentava dirigir e esconder a nudez da louca que nem se importou que o carro não tinha insulfilme e era um pequena e aconchegante Fiorino. Vendo o meu estado não teve jeito ,ele entrou em uma estradinha de terra me tirou do carro arrancou sua roupa e fizemos amor no capô da Fiorino. Era aproximadamente 20:00h e quando passou aquele fogo percebemos que haviam algumas casas, pouco intimidada gratinamos novamente até perceber que estávamos sendo vigiados por alguns moradores daquele pedacinho de terra vulgo ninho de amor!!!

    Mas estou ansiosa para repetir a dose.”

    ______________________________________________

    Na história de hoje aprendemos várias expressões novas para usar nas histórias de fodinhas. Até a próxima…

    E lembrem-se: o email é blog@acidezfeminina.com.br


    Gostou? Compartilhe

  • 08/09/2016// Por: Camila Pavani

    Cai o mito: mulheres pedem aumento tanto quanto homens

    mulher_-_salario_0

     

    Mulheres ganham menos que os homens. É fato: no Brasil, em um mesmo trabalho, o salário feminino é apenas 75% do masculino, de acordo com o IBGE. É uma diferença que se sustenta mundo afora, nos EUA, na Europa e em quase todos os países onde as mulheres trabalham – inclusive na indústria do cinema de Hollywood, cuja desigualdades de salários por gênero já foi denunciada por atrizes como Jennifer Lawrence e Gwyneth Paltrow.

    Ainda não há uma explicação para isso, mas uma das justificativas mais comuns é que as mulheres ganham menos porque não pedem tanto aumento quanto os homens, ou porque não negociam o salário tanto quanto eles – o que indica, basicamente, que o problema são as próprias mulheres, e não o mercado de trabalho.

    Mas um estudo publicado essa semana derruba esse mito. Do Women Ask? (“As mulheres pedem?”, em português) é uma pesquisa feita pela Cass Business School da Universidade de Londres, em parceria com as universidades de Warwick e Winsconsin, e mostra que as mulheres pedem, assim como os homens, aumento de salário – o problema é que elas não ganham.

    Isso, pelo menos, na Austrália, onde rolou o estudo – ao todo, participaram 4.600 trabalhadores de 840 empresas diferentes do país. Os participantes só precisavam responder a uma série de perguntas: se os pagamentos deles eram negociáveis, se haviam ganhado aumento depois de pedir, se preferiam não negociar um aumento por medo de “pegar mal” no ambiente de trabalho (e por quê), se trabalhavam em período integral e se estavam satisfeitos naquela função e com aquele salário.

    Olhando para os resultados iniciais, os pesquisadores notaram que 75% dos homens solicitaram um salário maior, contra 66% das mulheres. Mas daí, eles desconfiaram que as condições de trabalho poderiam estar afetando o resultado.

    Por isso, dividiram os participantes em dois grupos: os que tinham empregos de meio período e os que trabalhavam o dia todo. Depois, compararam só os homens e mulheres que trabalhavam o mesmo número de horas – e a diferença nos pedidos de aumento desapareceu. Ou seja: mulheres trabalham mais em empregos de meio período, onde negociar o salário é menos comum do que em empregos que duram o dia todo. Mas as que trabalham em tempo integral pedem aumento tanto quanto os homens.

    Mas não é só. Mesmo que as trabalhadoras chegassem a pedir aumento, o estudo mostra que os homens tinham cerca de 25% mais chances de efetivamente ganhar a grana a mais, independente do número de horas trabalhadas.

    Os pesquisadores tentaram entender por que isso acontecia: uma das hipóteses era que as mulheres não pedem aumento porque têm medo de causar impacto nas relações de trabalho, mas isso não é verdade. Entre os homens, 14,6% disseram estar preocupados com isso na hora de pedir aumento, enquanto entre as mulheres, esse número era menor, 12,9%.

    Outra explicação dizia que as mulheres estariam mais satisfeitas com o próprio salário e, portanto, com menos necessidade de aumento. Elas não estavam – ou, pelo menos, só 25% delas disseram estar satisfeitas, o mesmo número que os homens.

     

    Matéria da Superinteressante


    Gostou? Compartilhe

  • 08/09/2016// Por: Camila Pavani

    Para homens de idade, sexo frequente pode fazer mal à saúde

    homem-mais-velho

     

    A ideia de que o sexo faz bem para a saúde é repetida como um mantra na nossa sociedade, mas uma pesquisa divulgada nesta terça-feira aponta que a assertiva nem sempre é verdadeira. Para pessoas da terceira idade, a prática sexual frequente pode trazer benefícios para as mulheres, com a redução dos riscos de hipertensão, porém, entre os homens, aumenta os riscos de ataques cardíacos e de outros problemas cardiovasculares.
    — Essas descobertas desafiam a suposição generalizada de que o sexo traz benefícios para a saúde uniformes para todos — disse Hui Liu, professora da Sociolodia na Universidade Estadual de Michigan, nos EUA, e coautora do estudo publicado no periódico “Journal os Health and Social Behavior”.
    Os pesquisadores analisaram dados de 2.204 pessoas participantes do National Social Life, Health and Aging Project, que tinham entre 57 e 85 anos na primeira coleta de dados em 2005. Outra etapa da pesquisa foi realizada cinco anos depois. Foram avaliados riscos cardiovasculares, como hipertensão, aumento da frequência cardíaca, elevação dos níveis da proteína C-reativa e eventos cardiovasculares: ataque cardíaco, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral.
    Os resultados mostraram que idosos que praticavam sexo ao menos uma vez por semana foram mais propensos a passar por eventos cardiovasculares no período de cinco anos que os homens sexualmente inativos.
    — Nós encontramos que fazer sexo ao menos uma vez por semana coloca os homens de idade em risco mais de duas vezes maior de experimentar eventos cardiovasculares — disse Hui. — Além disso, os homens que achavam que o sexo com suas parceiras extremamente prazeroso e satisfatório tinham o risco ainda maior.
    MAIOR ESFORÇO PARA ALCANÇAR ORGASMO
    A explicação, diz a pesquisadora, seria a dificuldade maior para se obter prazer sexual, o que exigiria mais do organismo dos homens de idade.
    — Como homens de idade têm mais dificuldades para alcançar o orgasmo do que os jovens, eles devem exercer um grau maior de exausão e criar mais estresse ao sistema cardiovascular para alcançar o clímax — disse Hui.
    Os níveis de testosterona e o uso de medicações para melhorar as funções sexuais também podem exercer um papel nesta equação:
    — Apesar de as evidências científicas ainda serem escassas, é provável que as medicações sexuais ou suplementos tenham efeitos negativos sobre a saúde cardiovascular dos idosos — disse.
    Para as mulheres, o cenário foi oposto. As participantes que achavam o sexo extremamente prazeroso e satisfatório apresentaram menos riscos de desenvolver hipertensão cinco anos depois, em relação às mulheres que não praticavam sexo.
    Estudos anteriores sugerem que relacionamentos fortes e profundos são fonte importante de apoio emocional e social, o que pode reduzir o estresse e promover o bem estar psicológico, que se traduz em saúde cardiovascular.
    Leia mais: http://oglobo.globo.com/oglobo-20058917#ixzz4K8U2ZrqW


    Gostou? Compartilhe

  • 04/09/2016// Por: Camila Pavani

    Ele tinha 30 anos e tinha um piu piu

    rapidinhaleitor

     

    “Olá, essa história aconteceu faz uns 5 anos. Eu tinha 18 e ele quase 30.
    Ele era gentil, atencioso, e gostava muito de mim. Só tinha um problema e que me deixava bastante incomodada, ele falava comigo com voz de criança, O TEMPO TODO, tentei relevar. Ele queria me apresentar a todos os amigos e familiares dele e ficava cada vez mais complicado cortar o barato dele já que, apesar desse detalhe, ele era um cara legal.
    Ele me fez passar algumas vergonhas publicamente falando assim comigo, até que decidimos ir à um motel, imaginei que pela primeira vez veria ele como homem e ele me trataria como uma mulher! Pois bem, na hora que começou a esquentar, ele se referiu ao órgão dele como “piu piu”, sim, ele ficou falando com voz de criança e apelidou o pênis dele de piu piu como se fosse a coisa mais sexy do mundo, eu queria sumir dali naquele momento, inventei ligações da minha mãe e fui embora antes que ele colocasse algum apelido em mim também. Depois daquele dia eu terminei com qualquer coisa que poderíamos ter.

    Foi bem bizarro.”

     

    ____________________________________________

    Gente, coitada dessa moça.

    Conta sua história também! Aposto que já estão ligados né? O email é blog@acidezfeminina.com.br


    Gostou? Compartilhe

  • 02/09/2016// Por: Camila Pavani

    TPM é tipo isso…

    14199286_1411371588877644_7276777336893979504_n


    Gostou? Compartilhe

Taty Ferreira

Blogueira

/acidezfeminina
/acidezfeminina
/AcidGirlTestosterona
/acidezfeminina
/AcidezFeminina
Olar bandiputo!!!

Natural de Araxá/MG, tem 28 anos, é blogueira, youtuber, empresária, escritora, modelo, atriz e mentirosa. Produz conteúdo para a internet desde 2009 e ama o fato de poder trabalhar usando pijama. Tem uma missão de que é lembrar as mulheres de depilarem seus bigodes. Você, mulher, já depilou seu bigode essa semana?