• 02/04/2015// Por: Camila Pavani

    Não ouviu “azamigas” e se deu mal

    rapidinhaleitor2

     

    Meu nome é L e eu tinha uns 24 anos quando conheci o C, um segurança com fama de conquistador, bonito, bom de papo, e logo me interessou. Só que como todo pegador, existem os boatos, então vieram me avisar que ele simplesmente não ”funcionava”. Achei impossível, já que ele era muito convincente, resolvi pagar pra ver. Saímos uma vez e não rolou, mas foi tudo perfeito. Ai achei mesmo que era conversa de recalcada e só queriam queimar o coitado… Bom… O segundo encontro chegou e fomos aos finalmentes… Ele fez tudo direitinho, ai pediu pra eu fechar os olhos, achei que era uma espécie de fetiche, mas estranhei a demora, ele dizia pra eu não olhar. Resolvi dar uma espiadinha e vi que ele estava se matando tentando deixar o companheiro de pé e pra minha surpresa não ficava. Quando ele conseguiu eu sugeri o preservativo, fiquei até com pena, parecia que o companheiro estava ouvindo. Só de ouvir a palavra, foi dormir outra vez…

    Conclusão: não conseguimos concluir nada e aprendi que devemos ouvir mais azamigas.


    Gostou? Compartilhe


Taty Ferreira

Blogueira

/acidezfeminina
/acidezfeminina
/AcidGirlTestosterona
/acidezfeminina
/AcidezFeminina
/AcidezFeminina
Olar bandiputo!!!

Natural de Araxá/MG, tem 30 anos, é blogueira, youtuber, empresária, escritora, modelo, atriz e mentirosa. Produz conteúdo para a internet desde 2009 e ama o fato de poder trabalhar usando pijama. Tem uma missão de que é lembrar as mulheres de depilarem seus bigodes. Você, mulher, já depilou seu bigode essa semana?