• 07/08/2014// Por: Camila Pavani

    Trocou o pinto certo pelo duvidoso e se deu mal

    rapidinhaleitor

     

    Eaí meninas!
    Bom, minha história hoje talvez sirva de lição pra umas, como serviu pra mim. Conheci um cara a algum tempo num show e ele tentou ficar comigo, mas não quis nesse dia porque, sei lá, estava a afim só de curtir o show e também tinha uma relação com outro cara. Enfim, como pegamos o número um do outro, eu e o Vi (nome fictício) trocamos whats e resolvemos nos encontrar. Fui convidada pra ir para uma chácara com ele e uns amigos gays. A ideia de inicio era apenas sair de casa e passar um final de semana tranquilo com muita bebida. Mas aí, ele foi todo atencioso e tal, e eu estava um pouco carente. Acabamos pagando de casalzinho no local, que estava lotado, já que era uma festa de família dos amigos dele. Como tudo estava cheio, eles levaram barracas pra dormir. E eu, óbvio, ia dormir com o VI.

    Esperamos ansiosos para que as pessoas fossem dormir, porque tinha fogueira la perto de onde armamos a barraca e queríamos fumar… Mas aí, nada de ninguém dormir e resolvemos ir pra barraca. Nisso o clima esquentou. Mas o louco estava sem camisinha e eu também não tinha levado, já que a ideia era só curtir. Pra piorar a situação que já estava horrível, já que estávamos muito exitados e a barraca não parava de mexer, com toda aquela gente lá fora, ele sai da barraca e pede camisinha a um garoto em troca de cigarro. Por fim, conseguiu. Tentamos esperar, mas só aumentava o fogo mesmo com a vergonha, e nisso, nem reparei no pênis dele e acabamos fazendo beeeeeeeem devagar pra não mexer. Tava faltando algo. Mesmo. Mas achei que fosse só por que não estávamos nos movimentando como deveria ser. A vontade de ir ao banheiro aumentou para os dois e tivemos que sair com aquela cara de bunda, eu passei primeiro, depois ele veio atras falando que todo mundo lá tava zoando a gente. Não sabia onde meter a cara e voltei rapidinho pra barraca depois de usar o banheiro.
    No fim, a camisinha ficou inutilizável, e dormimos. Mas não acaba aqui! Pela manhã, umas 7 horas, todo mundo dormindo, muito frio, a gente deu uns tapinhas na ganja e fomos novamente. Dessa vez sem camisinha. (NÃO FAÇAM ISSO MENINAS!) Eu queria muito terminar aquilo, já que odeio passar vontade. Foi aí que vi e “senti” o tamanho do brinquedo. Foi tão ruim, tão ruim que eu praticamente implorei pra ele gozar logo. Até que ele gozou. Tive que tomar DIAD, fiquei sem ter mais contato com o carinha bom de cama e o Vi ainda tava se achando a ultima coca cola do deserto, querendo repetir a dose. Mantive contato com ele pra, caso desse algo errado com a pilula, eu ter um pai pro meu filho. Mas, agora que desceu, baixei a bola dele que estava altissíma e não ficamos mais.
    Não troquem o pinto certo pelo duvidoso!

    ______________________________________________________________
    História enviada pela M.

     

     


    Gostou? Compartilhe


Taty Ferreira

Blogueira

/acidezfeminina
/acidezfeminina
/AcidGirlTestosterona
/acidezfeminina
/AcidezFeminina
/AcidezFeminina
Olar bandiputo!!!

Natural de Araxá/MG, tem 30 anos, é blogueira, youtuber, empresária, escritora, modelo, atriz e mentirosa. Produz conteúdo para a internet desde 2009 e ama o fato de poder trabalhar usando pijama. Tem uma missão de que é lembrar as mulheres de depilarem seus bigodes. Você, mulher, já depilou seu bigode essa semana?