• 20/04/2021// Por: Mariana Martins

    Homens resolvendo um grande problema feminino que NÃO existe!

    Os empreendedores Andre Ritterswuerden e Eugen Raimkulow, da Alemanha, levaram sua startup, Pinky Glove, ao programa Die Höhle der Löwen, versão alemã do Shark Tank. Os empresários foram em busca de investidores, apresentando um novo produto inovador se sua startup: uma luva cor de rosa!! 

    Segundo eles é a solução para o produto de higiene feminina, uma luva de cor rosa descartável usada na hora de trocar absorvente durante o período menstrual e possibilitar um descarte discreto dos absorventes. 

    No programa a dupla foi bem sucedida, e conquistou o investimento do tubarão mas o sucesso da Pinky Glove, no entanto, durou pouco. Depois da exibição do programa, mulheres do país foram às redes sociais questionar a utilidade do produto e o por que o descarte de absorventes precisa ser discreto.

    “Este produto não é apenas desnecessário e prejudicial ao meio ambiente. É também um retrocesso em termos de estigmatizar as pessoas que menstruam”, publicou a autora Franka Frei no Instagram.

    “Então esses caras criaram luvas cor de rosa para que os absorventes internos possam ser descartados de maneira “adequada e discreta”. Eu não estou brincando”, disse a médica e autora Jennifer Gunter no Twitter.

    “As luvas de plástico cor de rosa foram consideradas prejudiciais ao meio ambiente e sexistas, enquanto alguns criticaram a equipe masculina por estigmatizar a menstruação”, explicou o jornal DW em uma matéria.

    No Twitter, a conta oficial do Clue, um aplicativo de monitoração do ciclo menstrual, criticou a startup por sugerir que a menstruação é algo anti-higiênico. “Pinky Gloves é uma startup alemã dirigida por homens que acreditam que o sangue menstrual não é limpo e que luvas são necessárias para trocar os absorventes internos ou externos. Por onde começamos? Não há nada anti-higiênico no sangue menstrual. Isso é period shaming”., escreveu a empresa, usando uma expressão que significa causar vergonha por causa da menstruação.

    O investidor Ralf Dümmel afirmou que investiu na empresa sem dar a devida atenção ao assunto. “Ficou claro para os fundadores que existem sérias críticas que os dois, como equipe masculina, simplesmente desconheciam. A menstruação é uma questão política. E admito que não prestei a atenção necessária a isso”, disse Dümmel.

    Já os empreendedores Andre Ritterswuerden e Eugen Raimkulow afirmaram irão refletir sobre toda a história de criação do produto. “Não tratamos do assunto de maneira adequada e isso foi um grande erro. Somos absolutamente a favor da remoção do tabu do assunto. Percebemos que ainda temos muito que aprender e que temos alguns pontos cegos. Levamos seu feedback muito a sério e estamos reconsiderando nosso produto”, escreveram no Instagram.

    Que todos aprendam com este acontecimento: empreender é resolver problemas, mas é preciso ter cuidado com o tipo de problema que está sendo resolvido — talvez ele nem exista de verdade.


    Gostou? Compartilhe


Taty Ferreira

Blogueira

/acidezfeminina
/acidezfeminina
/AcidGirlTestosterona
/acidezfeminina
/AcidezFeminina
/AcidezFeminina
Olar bandiputo!!!

Natural de Araxá/MG, tem 30 anos, é blogueira, youtuber, empresária, escritora, modelo, atriz e mentirosa. Produz conteúdo para a internet desde 2009 e ama o fato de poder trabalhar usando pijama. Tem uma missão de que é lembrar as mulheres de depilarem seus bigodes. Você, mulher, já depilou seu bigode essa semana?